Araguaína

Educação empreendedora será ampliada para todos os alunos do Ensino Fundamental de Araguaína

A educação empreendedora será ampliada para mais de 10 mil alunos do Ensino Fundamental de Araguaína em 2022, inclusive os matriculados na EJA (Educação de Jovens e Adultos). A capacitação faz parte do Programa Jovem Empreendedor Primeiros Passos (JEPP), realizado pela Prefeitura e Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas). O programa atenderá também professores, gestores e coordenadores da Rede Municipal de Ensino.

“Araguaína é uma cidade com alma empreendedora e foi assim que muitos começaram: pequenos, vendendo na porta de casa, e hoje são grandes empreendedores. Esse material didático vai levar o conhecimento para toda família, é uma oportunidade de qualificação desde criança para se tornar mais um empresário”, afirmou o prefeito Wagner Rodrigues.

O atendimento foi iniciado em 2014 para 4.500 alunos e ampliado até atender toda a Rede Municipal de Ensino. Em 2019, o JEPP capacitou mais de seis mil alunos, que contaram com aulas de desenvolvimento de estratégias de produtividade e comercialização de produtos.

Melhoria no ensino
O primeiro material com atividades foi entregue na última sexta-feira, 12, em cerimônia na Escola Municipal José Gomes Sobrinho, no Setor Monte Sinai. A secretária municipal da Educação, Elizângela Moura, contou que “o empreendedorismo já é trabalhado em sala de aula, e agora será ampliado para todas as turmas com um olhar específico para cada ano. O material entregue é um exemplar do que será utilizado no próximo ano”.

Ao final do ano letivo, os alunos realizarão uma feira empreendedora, com materiais e produtos produzidos por eles ao longo do ano.

Material adequado
Além de Araguaína, mais seis municípios da região receberão o programa em 2022. “As cartilhas, vídeos e cursos são adequados para a idade e linguagem própria da criança, de forma que ela entenda o que vem a ser um plano de negócios. É preciso primeiro ambientá-la, com atividades lúdicas, figuras de linguagem, criar um vínculo até emocional e partir daí fazer a transformação”, explicou o gerente regional do Sebrae, Joaquim Quinta Neto.